Área da Medicina Dentária responsável pelo tratamento da polpa dentária, popularmente designado por “desvitalização”.

Polpa dentária é o orgão (composto por nervos, vasos sanguíneos, etc.) que se encontra no interior do dente.

O tratamento endodôntico consiste na remoção da polpa dentária dos canais radiculares, mediante ação mecânica e química e posterior obturação (preenchimento). O principal objetivo deste tratamento é garantir que os tecidos que circundam o dente, mantenham ou recuperem o seu estado saudável.

Porque é necessário?

Quando uma peça dentária se encontra muito destruída por cárie, fratura, trauma ou desgaste excessivo e a polpa é afetada, torna-se imperativo realizar este tratamento, de modo a evitar quadros de dor dentária ou mesmo infeções associadas à raiz.

Inflamação da polpa surge quando a agressão atinge zonas profundas do dente, surgindo normalmente por dor ao frio. Se esta agressão continuar, sem que o dente seja tratado, a polpa perde a capacidade de defesa e de recuperação, levando a um estado irreversível, normalmente acompanhado de dores intensas e prolongadas, tornando-se necessário a remoção completa da polpa.

Quando surge uma infeção, por exemplo por bactérias, o organismo transporta células de defesa para o local. No caso dos dentes, isso não acontece. Quando surge uma infeção, o tecido nervoso do dente (polpa dentária) foi degenerado, não existindo maneira efetiva das células de defesas chegarem ao interior do dente para combater as bactérias. Posto este quadro, na pior das hipóteses, a infeção bacteriana sobrepõe-se às defesas do organismo, surgindo dores e inchaço (abcesso agudo). Para que o dente possa ser conservado é indicado fazer o tratamento endodôntico.

Retratamento Endodôntico

Surge quando o tratamento endodôntico prévio falha. Os materiais obturadores antigos são eliminados, os canais novamente desinfetados e conformados, é feita a identificação e correção de problemas encontrados no tratamento prévio e por fim os canais são preenchidos com novo material selador. É importante ter em atenção que é um tratamento de dificuldade elevada e que alguns problemas do tratamento prévio podem não ser corrigidas, sendo nestes casos a cirurgia endodôntica um alternativa.